Procedimentos cirúrgicos:

Remoção das tonsilas faríngeas, conhecidas como adenóides, associada ou não a cirurgia de ressecção das tonsilas palatinas (amígdalas) devido a ronco, obstrução respiratória, sinusite e/ou otite em crianças.

A adenoidectomia pode ser realizada por visão indireta (forma tradicional) ou por videoendoscopia.

Remoção das tonsilas palatinas, conhecidas como amígdalas, quando existe aumento significativo dessas estruturas ocasionando roncos em crianças ou adultos, obstrução respiratória ou devido a infecções recorrentes, “amigdalites”, documentadas pelo médico.

Não existem cortes externos ou mudança na estética da face.

Remoção parcial ou total de lesões de nariz, boca, faringe e laringe.

Podem ser realizadas por visão direta ou por videoendoscopia a depender do local e extensão da lesão.

Aplicação de instrumento denominado cautério na concha nasal ou “carne” do nariz visando a redução volumétrica desta estrutura quando existe aumento dessa região e obstrução do fluxo de ar pelo nariz.

Este procedimento pode ser realizado de forma tradicional sob anestesia geral ou no consultório médico com anestesia local por radiofrequência em casos selecionados.

Indica-se o uso do laser em alguns procedimentos em lesões de boca, faringe, língua e laringe como câncer e tumores benignos.

Alguns tumores e lesões podem ser removidos de maneira eficaz e rápida com este método.

A dacriocistorrinostomia é um procedimento endoscópico pelo nariz com objetivo de desobstruir a via lacrimal. Tem resultado semelhante a cirurgia por via externa e é realizada em casos selecionados.

Ao contrário da técnica tradicional realizada pelo oftalmologista, a técnica endoscópica nasal elimina a necessidade de uma incisão na pele ou a presença de cicatriz. Não existem cortes externos ou mudança na estética da face.

O ronco e/ou apneia do sono podem ser tratados cirurgicamente em alguns casos.

A faringoplastia / palatofaringoplastia pode ser realizada por técnicas diversas. Realizamos geralmente a faringoplastia expansora e a faringoplastia lateral.

A uvulopalatofaringoplastia modificada também pode ser utilizada em alguns casos. Necessária avaliação individual.

Tratamento de lesões de pregas vocais para correção de lesões como pólipo, granuloma, leucoplasia, câncer, dentre outros.

Remoção de pólipos nasais associados a obstrução nasal e/ou sinusite crônica.

Pode ser realizada por videoendoscopia ou por visão direta. Não existem cortes externos ou mudança na estética da face.

Tratamento de obstrução nasal associada a insuficiência de válvula nasal; septo com desvio significativo não responsivo à técnica tradicional, dentre outros.

Correção de obstrução nasal associada a desvio de septo nasal. Esta estrutura pode ter desvio em sua parte óssea ou cartilaginosa e a ressecção da região alterada proporciona melhora do fluxo nasal de ar.

Pode ser realizada por videoendoscopia ou por visão direta. Não existem cortes externos ou mudança na estética da face.

Tratamento de sinusite em que se promove a abertura dos seios da face através do nariz para melhoria da aeração e drenagem. Pode ser realizado em um único seio da face ou em múltiplos deles, tais como: Maxilar, Frontal, Esfenóide e Etmóide.

É realizada por videoendoscopia e não existem cortes externos ou mudança na estética da face.

Tratamento de tumores benignos do nariz e seios paranasais (seios da face).

Quando realizada por videoendoscopia, não existem cortes externos ou mudança na estética da face.

Posicionamento de tubo de ventilação na membrana timpânica de crianças e/ou adultos para tratamento de otite média em casos selecionados.

Pode ser realizada com anestesia local em adultos. Em crianças, necessária anestesia geral.

Remoção parcial da concha nasal inferior  (“carne esponjosa”) do nariz visando a redução volumétrica desta estrutura quando ela obstrui o fluxo de ar do nariz.

Existem várias técnicas cirúrgicas possíveis e é necessária avaliação individualizada.

A cirurgia é feita por videoendoscopia. Não existem cortes externos ou mudança na estética da face.

Primeira cirurgia descrita para tratamento do ronco e apneia. Atualmente, realiza-se essa cirurgia de forma modificada da técnica original.

Agende uma consulta para avaliação do seu caso.

Confira as nossas orientações pré operatórias: Clique aqui
Os procedimentos cirúrgicos são realizados em ambiente hospitalar e, em sua maioria, com anestesia geral.